APLICATIVO PUXA-BOCAS PARA APPLE. Clique na imagem e em COMPRAR para ir à Apple Store.

Mais um aplicativo de Boquinhas Puxa Bocas agora temos para APPLE atualizado, com variações nas vogais Ã, É, Ê, Ó, Ô e com imagens de alta qualidade. que favorece a alfabetização, trabalha soletração, consciência fonológica e fonoarticulatória. À partir de 5-6 anos de idade. A venda SOMENTE na Apple Store.
R$ 60,00

 

OBS: Esse é um produto SOMENTE disponível a partir de aparelhos 4S

 

APLICATIVO DE BOQUINHAS "PUXA-BOCAS"

 

Esse é o segundo Aplicativo de Boquinhas, para complementar a Tecnologia Educacional Boquinhas, com atividades interativas e recursos digitais. Foi idealizado pela autora Renata Jardini com colaboração das Multiplicadoras Patrícia Hoffmeister e Viviane Guimarães, desenvolvido pelo engenheiro Daniel Taparelli, para uso em Android (tablets ou celulares).

Indicação:

Ideal para fixar a alfabetização, à partir dos 5-6 anos de idade.

Objetivos:

  •          Desenvolver a soletração;
  •          Desenvolver consciência fonológica e fonoarticulatória;
  •          Treinar o confronto de letras surdas/sonoras;
  •          Mediar as trocas de letras;
  •          Aumentar a velocidade de leitura e escrita;
  •          Divertir e fixar a alfabetização.

Descrição:

O jogo compreende 3 fases, com níveis de complexidade e objetivos diferentes, com 3 níveis de dificuldade por fase. 

Nas fases 1 e 2, análise da soletração, na tela aparece uma figura ao centro. Quando clicada, ouve-se seu nome. Ao lado aparecem letras/bocas dessa palavra que quando clicados, ouvem-se seus sons (fonemas). O jogador deve puxar para o centro do círculo, as bocas na sequência da escrita da palavra. Quando acerta a sequência, o jogo continua, vê-se o objeto, ouve-se o nome da figura e sua soletração (nome das letras).

Na fase 3, trabalha-se o processo inverso, de síntese da soletração, ou seja, parte-se dos sons para se chegar em uma palavra. Na tela aparecem as bocas em sequência de uma figura, que quando clicadas, ouvem-se seus sons (fonemas). Embaixo aparecem 3 figuras que quando clicadas ouvem-se seus nomes. O jogador deve descobrir qual é a palavra correspondente àquelas figuras, puxando-a para cima. Quando acerta aparece a figura, sua escrita (letras) e ouve-se sua soletração (nome das letras), seguida do nome do objeto. A cada fase completada, marca-se o tempo. Cada nível contém 5 figuras aleatórias para serem jogadas até que passe de nível, assim, para finalizar o jogo, deve ser acertadas 45 palavras. O jogo é randômico e ao todo contém 234 figuras.

Fase 1 (análise): Palavras com sílabas simples (CV).

Fase 2 (análise): Palavras envolvendo também sílabas complexas (CCV, CVC, VC e dígrafos).

Fase 3 (síntese): Apresentado o processo de síntese. Os níveis dessa fase vão variar com a complexidade das palavras. 

Os níveis 1 e 2 apresentam evolução no grau de complexidade, sendo:

  •          Nível 1: Apresentação somente das bocas da palavras.
  •          Nível 2: Apresentação das bocas da palavra, mais duas outras aleatórias, para dificultar.
  •          Nível 3: Apresentação das bocas da palavra, mais duas outras para dificultar, envolvendo dificuldades ortográficas e fonológicas.

 

Sugestões de atividades complementares


Esse é um jogo já bastante completo e complexo, em que o mediador terá muitas possibilidades de explorá-lo. No entanto, ele pode complementar esse jogo com mais atividades de alfabetização Boquinhas, para que haja mais efetividade nos resultados almejados, além da ludicidade em si. As atividades sugeridas aqui são apenas exemplos, porém o educador/pai pode encontrar muito mais sugestões em nosso site e materiais autênticos, livros e jogos Boquinhas: www.metododasboquinhas.com.br


1. Estimular as crianças a explorarem cada palavra descoberta, como seu significado, sua função, sua categoria semântica, seu gênero, sua classe gramatical, incluí-la em uma frase completa, etc.;
2. O mediador discute com as crianças que as palavras são representadas por sons (como as falamos), por gestos articulatórios (bocas que as falamos) e letras (como as registramos). Discutir com os alunos cada uma das letras do alfabeto, seu fonema e articulema, podendo elencar palavras reais iniciadas por elas;
3. Descobrir a soletração dos nomes das crianças da sala. Cada aluno, na sua vez, soletra um nome e a criança real identifica-se com aquele nome;
4. As crianças pegam as bocas e letras na sequência de uma imagem mostrada pelo mediador, falando o nome de suas letras;
5. A cada palavra descoberta sua sequência de letras/sons/bocas, pausar o jogo e uma criança antecipar a sua soletração (nome de letras), conferindo depois na continuidade do jogo a efetividade da aprendizagem e os acertos/erros;
6. A cada palavra descoberta sua sequência de letras/sons/bocas, pausar o jogo e uma criança antecipar a sua fonematização (sons isolados das letras), conferindo depois na continuidade do jogo a efetividade da aprendizagem e os acertos/erros;
7. A cada palavra descoberta sua sequência de letras/sons/bocas, pausar o jogo e uma criança antecipar a sua articulação (bocas de letras), conferindo depois na continuidade do jogo a efetividade da aprendizagem e os acertos/erros;
8. Em um grau mais avançado, o mediador pode discutir com as crianças se em cada palavra descoberta, podemos encontrar outra palavra, com a mesma sequência de vogais. O mediador deve comprovar as descobertas, registrando a palavra toda na lousa;
9. Estimular as crianças a realizarem o jogo cada vez mais rápido, competindo entre si, ou entre grupos o avanço nas fases do jogo;
10. Atribuir bocas/sons/letras a cada criança da sala. Para cada palavra formada, na sequência, a criança que possui aquela boca/som/letra dá um passo à frente, compondo a palavra ouvida. Os demais alunos são os corretores.